• “Está sobrando dinheiro no FCO Empresarial”, diz gerente do BB em live da Fieg

    Publicado em 14.09.2021 às 19:45

    O Conselho Temático da Micro, Pequena e Média Empresa (Compem-GO) da Fieg, liderado pelo empresário Jaime Canedo, realizou terça-feira (14/09) a live Caravana FCO Empresarial: Acesso ao Crédito. O encontro contou com exposição do gerente de Negócios de Mercado do Banco do Brasil Centro-Oeste, Adonias Antônio Miranda, e participação de empresários goianos.

    No webinar, foram detalhadas as principais linhas de crédito (capital de giro e investimento) ofertadas pela instituição bancária para empresas, com especial enfoque na opção do FCO Empresarial. “Não tem como competir com o FCO. A linha possui encargos financeiros diferenciados, bônus de adimplência de 15% sobre o componente prefixado dos encargos financeiros, isenção de tarifa de abertura de crédito (TAC) e IOF e prazo ajustados à capacidade de pagamento”, explicou Adonias.

    De acordo com o gerente, os benefícios do FCO Empresarial incluem prazo de 20 anos para pagamento, carência de até cinco anos para quitação das parcelas de capital, financiamento de até 100% dos bens e não obrigatoriedade de carta-consulta para financiamentos com valor inferior a R$ 500 mil. “Estão sobrando recursos na linha do FCO Empresarial e a não obrigatoriedade de projeto para empréstimos até R$ 499.999,99 facilita ainda mais o acesso do pequeno empresário ao fundo”, argumentou.

    Adonias destacou ainda a possibilidade de empresas financiarem pelo Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) projetos de investimento em energia fotovoltaica, sobretudo diante do atual cenário de escassez hídrica e crise energética. “A energia fotovoltaica é a menina dos olhos do banco, por entendermos que é o futuro. É um investimento que contribui com soluções para a crise que vivenciamos”, defendeu.

    No encontro, o especialista detalhou ainda outras linhas de financiamento de capital de giro e investimentos ofertadas para empresas que não se enquadram dentro dos requisitos do FCO. Nesse sentido, Adonias destacou o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que também possui recursos sobrando em 2021 para financiamentos de até R$ 150 mil.

    Destinado a empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões e constituídas há pelo menos um ano, o Pronampe oferta 11 meses de carência, empréstimos com encargos fixados em Selic + 6% a.a. e garantia do Fundo Garantidor de Operações (FGO). “É um programa que busca contribuir com a manutenção dos negócios e preservação de empregos, com liberação dos recursos rápida e diretamente na conta corrente da empresa”.

    Para o presidente do Compem, Jaime Canedo, é fundamental que os empreendedores conheçam as linhas de crédito disponíveis no mercado e se atualizem quanto às políticas públicas para fomento da economia, sobretudo nesse momento de retomada dos negócios e da atividade produtiva. “Os pequenos negócios são a força da economia brasileira, gerando milhões de empregos e assegurando o sustento de milhões de famílias. Só na indústria, representam quase 25% do PIB do setor. É fundamental que os empresários conheçam as linhas de crédito que garantem maior competitividade ao seu negócio”, sustentou.

    A live foi acompanhada pelo presidente do Sindicato das Indústrias da Alimentação no Estado de Goiás (Siaeg), Antônio Santos, pelos diretores do Sebrae João Carlos Gouveia e Marcelo Lessa e cerca de 20 micros e pequenos empresários.

    SOBRE O FCO
    O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico e social da região, mediante execução de programas de financiamento aos setores produtivos industrial, agropecuário, mineral, de turismo e de infraestrutura econômica, comercial e de serviços, sendo os recursos administrados pelo Banco do Brasil.

    Os financiamentos realizados com recursos do FCO proporcionam ampliação da oferta de emprego e melhor distribuição de renda, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população dos Estados de Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.