• A Prefeitura de Trindade deu apoio à exposição “Coletivo na Primavera” reunindo artes plásticas e música erudita na Casa de Cultura

    Publicado em 17.10.2021 às 14:31

    Uma exposição na noite de sábado (16/10), realizada com o apoio da Prefeitura de Trindade, na Casa de Cultura, proporcionou uma oportunidade para artistas locais interagirem artes plásticas com música clássica, acessíveis ao público trindadense. 

    A iniciativa foi do Coletivo na Primavera, com o apoio da Prefeitura, através da Agência Municipal de Turismo e Cultura de Trindade.

    Warley Lopes, presidente da Agência, definiu como um momento de contemplação das artes. “Reunimos artes plásticas e música, em um trabalho de referência para a interação dos artistas de Trindade”, declarou.

    Segundo ele, a Prefeitura, através da Agência de Turismo e Cultura, está dando apoio ao Coletivo na Primavera para que a Casa de Cultura seja reconhecida como “a casa dos artistas da cidade, para realizarem seus projetos, chamarem seus convidados”, resumiu. 

    Na retomada dos eventos, após o avanço da vacinação e o consequente controle maior da pandemia de Covid-19, Warley afirma que a classe artística e cultural já está podendo manter seus projetos. Da parte da administração municipal ele garante: “Estamos prontos para abraçar, inovar e lançar mais eventos”.

    A artista plástica Lola Fernandes, que participou da exposição na Casa da Cultura com dez telas retratando a natureza, disse que estava honrada por ser convidada a mostrar seu trabalho. 

    “Vou até pintar mais, mudar um pouco minhas técnicas, porque agora temos onde expor e ter onde expor é importante para o artista”, celebrou ela, que também é advogada e utiliza técnica mista, aplicando massa corrida com tinta a óleo em suas telas. 

    Sobre o incentivo da prefeitura ao setor cultural, ela resumiu dando “nota dez”, para o prefeito Marden Júnior. E completou, em seguida, dizendo que surgiu, “enfim, um prefeito que incentiva a cultura. Estou impressionada com os trabalhos que estão fazendo no setor cultural, com a abertura e as oportunidades às pessoas, com pandemia e tudo”. 

    Na exposição também foram exibidos trabalhos de Inã Zoé, jornalista e artista plástico, que abordou o tema “como lidar com a influência das ferramentas digitais”. Ele utiliza técnica de colagem digital. 

    Inã Zoé explica que definiu uma técnica pela percepção das inúmeras possibilidades do digital, “inclusive do lado sombrio, com pessoas adoecendo, com problemas de auto estima”, questões que a arte também pode abordar sobre essa influência do digital. 

    Para ele, a exposição na Casa de Cultura foi um respiro. “Um recomeço que nos deixa felizes porque mostra que, tomando os cuidados, um esforço de uma força tarefa da prefeitura e da equipe do coletivo”, é capaz de gerar um evento seguro.

    O coletivo Primavera é composto por dois artistas plásticos e dois grupos musicais. Na parte musical estão o Grupo de Sopro Maestro Schubert e a Banda de José Moreira, Cléber, Fernando e Anauê.