• Ex-deputado estadual constituinte e ex-prefeito do município de Anápolis, Wolney Martins faleceu nesta quinta-feira, 24 

    Publicado em 24.02.2022 às 19:41

    O advogado e ex-prefeito de Anápolis, Wolney Martins de Araújo, de 84 anos, morreu nesta quinta-feira, 24. Wolney estava sofrendo de problemas renais e precisou ser internado em um hospital de Goiânia, quando foi vítima de um infarto. Em decorrência da morte de Wolney, a Prefeitura de Anápolis já decretou luto oficial por três dias no município. A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa decretou, nesta tarde, luto oficial por três dias. 

    Wolney foi prefeito de Anápolis em duas ocasiões e deputado estadual na 9ª, 11ª e 12ª Legislaturas. Em 1979, ele ocupou uma cadeira na Assembleia Legislativa de Goiás pela primeira vez, mas se licenciou do cargo em março de 1980 para assumir a Prefeitura Municipal de Anápolis. Foi prefeito de Anápolis, nomeado, em março de 1980, e ficou no cargo até 14 de abril de 1982, quando assumiu a Secretaria de Governo do Estado, na gestão do então governador Ary Valadão.

    Em 1986, Wolney foi eleito suplente de deputado estadual. Em março de 1987, ele assumiu o mandato na Alego e três anos depois foi reeleito, dessa vez, como deputado titular, em 1990. Em 1992, ainda no cargo de parlamentar estadual, ele se elegeu prefeito de Anápolis e exerceu a função por quatro anos, de 1993 a 1996.

    Wolney Martins voltou a ser superintendente executivo da Secretaria Estadual de Minas e Energia de 1999 a 2002, na gestão do então governador Marconi Perillo. Tentou, ainda, ser deputado estadual em 2006, pelo PP, mas não foi eleito, terminando com 4.916 votos. Foi candidato pela última vez a um cargo público em 2012, quando não se elegeu vereador em Anápolis, ao receber 1.258 votos.

    Wolney também foi delegado regional do Serviço Social da Indústria (Sesi) em Anápolis, delegado da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) e secretário executivo da Associação Comercial e Industrial (Acia) de Anápolis.

    Nascido em 3 de setembro de 1937, em Catalão, era formado pela Faculdade de Direito Direito de Anápolis (Fada), com especialização em Direito Processual Penal.  Foi um dos representantes do PDS na Assembleia Estadual Constituinte, período que ele se referia como “os bons tempos”. Deixa esposa, quatro filhos e sete netos.